DECLARAÇÃO DE INTENÇÕES

O que me distingue de um revolucionário, é que este quer mudar o mundo. eu não quero mudar rigorosamente nada, apenas registar a iniquidade humana.

segunda-feira, 28 de abril de 2014


da civilização à barbárie
de acordo com uma corrente da História, a humanidade e os seus valores terão efetuado um percurso que a trouxe da barbárie para a civilização.
lendo e ouvindo, hoje em dia, alguns apóstolos da competitividade, sacralizando-a-a como valor fundamental e primordial da condição humana, leva-me a imaginar o que será uma sociedade com a competitividade como valor mais alto e todos os restantes códigos de conduta a ela submetidos: uma sociedade que acabará em autofagia.
pelos indícios do que vou observando na realidade, o salve-se quem puder, o subir na vida por qualquer preço, o atropelo a tudo, a todos a direitos básicos e fundamentais da condição humana, historicamente falando, aparentasse-me que o caminho inverso, de forma mais subtil ou mais descarada, já teve o seu início: a humanidade começa a caminhar da civilização para a barbárie.

Sem comentários:

Enviar um comentário