DECLARAÇÃO DE INTENÇÕES

O que me distingue de um revolucionário, é que este quer mudar o mundo. eu não quero mudar rigorosamente nada, apenas registar a iniquidade humana.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Assim falou cavacus

no seu jeito meio burgesso, meio beato, Cavaco lá nos convocou a ir a votos.
infelizmente, não ficou por aqui a sua conversa em família.
numa outra compostura, vestiu a toga professoral e entre meias intenções e palavras inteiras, ele lá nos foi ensinando como votar para o bem do país. aquele bem a que ele e seus amigos nos conduziram. disse ele que é necessário um consenso alargado. agora? depois de me terem fodido sem autorização, o que prefigura violação, vem-me pedir consenso alargado,,, para violarem mais quem? a minha mulher? a minha filha? o cão? os canários?
consenso alargado? cu senso alargado? cu sesso alargado!
alargue o dele que deve ter o músculo mais flexível.
ainda em registo professoral, não deixou de mostrar como devem os partidos fazer campanha: com rigor, verdade e sem ataques pessoais...
exatamente o mesmo rigor e verdade que teve por base a sua própria campanha que o reelegeu, ficamos todos esclarecidos sobre as suas ações no BPN, com as permutas do seu pardieiro por vivenda de luxo, de como os seus amigos assaltaram o BPN e através dele os bolsos dos portugueses.
rigor, verdade e transparência.. eis cavacus no seu melhor.

terça-feira, 22 de março de 2011

Ação de denúncia

O que quer a FENPROF que professores e educadores denunciem?
Que estão fodidos e quem os fodeu foram os dirigentes sindicais que assinaram o acordo com o ME?
Denuncia que foste fodido, professor, denuncia!

segunda-feira, 14 de março de 2011

ressureição da casa dos mortos


Caros camaradas:
por motivos vários, não me sinto, de momento, confortável dentro do Bloco.
ainda que o Bloco continue a ser a organização política com a qual mais me identifico, sinto cada vez mais as mesmas velhas malhas dos partidos tradicionais a tolherem-me.
talvez a democracia com a participação do povo seja difícil ou cara, por isso encontram-se pequenos grupos de iluminados em cada partido que tudo decidem e tudo resolvem pelos outros militantes, a esses, o povo serve para animar as campanhas e aplaudir os discursos.
estando a léguas de ser uma pessoa excecional, também não me sinto com vocação para acólito.
pelo exposto, venho solicitar a minha suspensão da condição de aderente e regressarei a ser apenas e só um mero militante de esquerda, da esquerda que a cada momento eu achar que está no local certo, um esquerdista vadio.
deixo a organização da mesma forma com que a frequentei: discretamente! a política fique para os políticos de carreira.
as quotas deste ano estão pagas bem como o esquerda, o qual terei todo o gosto em continuar a assinar. pelo que as contas estão acertadas.
passai bem e que eu não passe mal.
agora necessito respirar.
hasta siempre
jaime crespo
aderente nº 8088

domingo, 13 de março de 2011

Político (s) logos à rasca!

Foi com alegria que vi a Avenida da Liberdade cheia. Oiço na rádio que no Porto se terão juntado cerca de 80 mil pessoas. Por todo o país terão sido cerca de 300 mil a protestar, à boca grande, contra os políticos e as políticas que o país tem rumado.
Esta gente toda remete para o caixote do lixo da História algumas análises que os politólogos do regime (não conheço outros) têm feito nos últimos tempos.
A primeira certeza, por eles espalhada, que cai por terra é a questão da abstenção.
No seguimento das últimas presidenciais, tentou-se desvalorizar o valor da abstenção, transformada em forma de protesto, tentando alegar que o valor em causa não seria afinal tão elevado porque existiriam mais de um milhão de inscritos fantasma. Agora, acusam estes manifestantes de quererem emprego e estabilidade mas de não se darem ao trabalho de irem votar, já lá iremos.
As pessoas abstém-se nas eleições porque o princípio da representatividade foi desvirtuado e não funciona. Neste momento os partidos no governo, Assembleia da República e o próprio Presidente da República, representam-se apenas e só a eles próprios, às suas famílias e aos amigos.
O sistema da Democracia está podre e fenece é pois necessário substitui-lo por um novo paradigma, a participação popular e a solidariedade interclassista.
Um sistema que defenda o povo, “povo somos todos” como dizia o meu saudoso professor de Matemática em Portalegre, Dr. José Nunes, é urgente.
Não se pretende acabar com os partidos políticos nem com os políticos e criar uma ditadura populista. Exige-se-lhes é outra forma de fazer política.
A segunda é a da competência. Dizem, “ah, eles têm muitos cursos e habilitações mas são cursos que não servem para nada”. Errado, além dos diplomas, a maior parte destes jovens tem qualificações e competências que lhes permitem trabalhar nas maiores empresas mundiais, ou centros de investigação internacionais, e alguns têm tomado esta opção. Então um curso de História, Literatura, Filosofia, Relações Internacionais, Jornalismo, entre muitos outros, não tem valor? Que cursos têm valor? Que cursos tiraram os
agora comentadores e politólogos?

Para acabar esta parte, haveria outras certezas instaladas que poderia aqui referir, mas não me vou alongar, fica a do comodismo desta geração. Os comentadores formaram a ideia de que estes jovens vivem à pala dos pais porque isso é um luxo que lhes permite mandriar e nada fazer para alterar a sua condição. A resposta foi esmagadora.
Alguns tentam desvalorizar o tamanho do protesto com a alegação de que foram as máquinas aparelhistas do Bloco de Esquerda e do PCP a mobilizar esta gente toda. Quem diz isto nem sequer viu as imagens transmitidas pelas televisões, pois bastava isso para se perceber que os partidos, estiveram lá representados é verdade, mas de forma absolutamente marginal.
Depois desvalorizam os números com a desculpa, ai eles levaram também os pais e os avós. Se é certo que pela Avenida se viram muitas famílias, não é menos verdade que houve um protesto intergeracional, porque, ao fim e ao cabo, com o último código do trabalho, todos passámos a precários. Por outro lado, pessoas mais maduras e a poucos anos de atingirem a idade de reforma, após 30 e mais anos de trabalho, se viram atiradas para o desemprego e a precariedade. Ou seja, é um País inteiro que está à rasca. Por isso, os protestos tiveram a adesão que tiveram.
E a tendência é aumentar.
Alguns lamentaram o fato de num tão grande e global protesto, da extrema-direita aos Anarquistas viram-se bandeiras e símbolos de todos, nem sequer ter havido uma montra partida. Era do que eles estavam à espera para logo apelidarem os manifestantes de arruaceiros e se pedir a repressão policial.
Também aqui tiveram azar.


Ah! E não podia aqui faltar a t'shirt do momento, a minha, que foi a mais fotografada durante a manifestação.
A(o)s simpátic@s fotograf@s que dêem uma palavrinha à Loja do Cão Azul, a ver se pinga uma t'shirt à borlix, pois com esta crise as t'shirt's atingiram preços incomportáveis com o vencimento de um pobre professor.
Ela aqui está:

sábado, 12 de março de 2011

2 ou 3 notas sobre a Moção de Censura (ainda)


Já não sei se teixeira dos santos apresentou, ontem o PEC 4 ou 5, eles caem-nos em cima como merda de gaivota, a qualquer dia e em qualquer hora. Mas achei oportuno deixar aqui umas notas sobre a moção de censura, apresentada pelo Bloco de Esquerda, que afinal foi acontecimento apenas 5ª feira passada, no entanto, já ultrapassada pela vertigem da crise financeira que tudo e todos tritura.
Os politólogos que tenho ouvido nos vários canais de tv, têm afinado pelo diapasão da inutilidade que foi esta moção.
Discordo plenamente.
Não poderia haver tempo mais adequado, dia seguinte à tomada de posse do Presidente da República, vamos falar a sério e separar águas: quem está com os PEC’s deste mundo e quem está contra?
E as águas, para espanto de todos abriram e apareceu um caminho entre elas.
Por um lado, a favor da Moção, ficou o Bloco, a CDU e parece que dois deputados do PS.
Contra, o óbvio PS.
PPD/PSD e CDS/PP ficaram-se por uma tímida abstenção.
As razões apresentadas, “não se trata de uma moção de censura mas de ternura”, não sei quem fez o cafuné a quem, mas fiquei a saber quem através da mesura se apresentou para futuro parceiro de governo (de coligação) seja ele do PS ou do PPD/PSD, o CDS/PP.
Quanto ao PPD/PSD, aquela desculpa de não voto nesta moção porque tu não queres que eu vote nela, onde é que eu já ouvi isto? Ah, na escola primária, “não quero jogar porque a bola é tua e tu não deixas”.
Em suma, os abstencionistas abstêm-se por razões diferentes: Paulo Portas, entreabre a porta a Sócrates, deixando-a meio aberta a Passos Coelho; Passos Coelho manda os seus deputados absterem-se, porquê? Talvez (com medo de ser) fodido. 

quarta-feira, 9 de março de 2011

Organizem-se s.f.f.


Há tempos já, que se conhecia a intenção da chamada geração à rasca, de se manifestar no dia 12, próximo sábado em Lisboa e no Porto.
Então, porque marca a FENPROF, estrutura sindical de maior expressão entre os professores, uma das classes mais atingida pela precariedade, basta contar quantos professores são contratados, porquê marca a fenprof uma manifestação de professores, para o mesmo local, Lisboa o mesmo dia e hora da outra manifestação?
Até aceito a desculpa de que a fenprof tinha marcado a sua iniciativa primeiro, isso não invalida que como estrutura bem organizada que facilmente alterasse a manifestação dos professores para outra data, e assim, o pessoal podia estar nos dois protestos.
Assim, dividir para Sócrates reinar...
Depois há outra coisa no anúncio da manifestação de professores, no Campo Pequeno, que apela à tradição e simbologia do local para os professores. confesso não compreender, sou professor há 22 anos e a única simbologia que associo ao Campo Pequeno é a das toiradas, como não gosto, nunca lá entrei, portanto não compreendo até que me façam o desenho qual a simbologia entre a classe docente e as toiradas, a não ser que com a avaliação de desempenho, em primeira instância deixada passar pelos sindicatos haja algo parecido com a prova de bravura que fazem aos toiros nas corridas à espanhola e esta manifestação configure um ensaio geral do sistema: picador, mula, professor....

o presidente al(g)arve..io!


toma hoje posse para o seu segundo mandato, o Presidente da República Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva.
podia ter aproveitado a época e em lugar de tomar posse em 4ª feira de cinzas, o que indicia sempre um mau presságio, tinha tomado posse ontem, 3ª feira gorda, ou de Entrudo, o que é sempre símbolo de folia, brincadeira, gozo e alegria.
porque os acontecimentos eleitorais assemelharam o ato a um corso carnavalesco (enorme abstenção, número inusitado de votos brancos e nulos, cidadãos que foram impedidos de votar devido ao cartão de cidadão, resultados finais que custaram caro a bater certos...).
enfim, iniciemos hoje a Quaresma, o luto e o jejum, pode ser que lá para a Páscoa a sorte mude.

confusão no galinheiro da pimbalhada nacional



cacarejaram as galinhas, arrufaram penas os capões, logo que os votos dos telespetadores viraram do avesso os resultados do concurso do nacional canceonetismo, conhecido como festival eurovisão da rtp, e atribuiu a vitória  ao duo de brincalhões que se dá pelo nome de Homens da Luta.
logo apareceram portugueses "de gema", virgens mal disfarçadas, a declararem a sua vergonha em ser português apenas pelo fato desta canção ir representar Portugal, num festival de música pimba, basta uma pequena digressão pelo yuotube onde é divulgada a canção para encontrar comentários desse teor. são talvez daqueles que desligam o televisor quando aparece um orgulhoso Francis Obikwelu a exibir a sua medalha de ouro, entre um sorriso e duas lágrimas, enquanto a bandeira portuguesa é erguida no mastro principal e no estádio são executados os acordes d' A Portuguesa. talvez sintam orgulho nas suas mulheres que vão aos concertos do tony carreira e lançam as cuequinhas para o palco. aquilo sim, portuguesas de raça, veras padeiras de Alhubarrota, com buço e tudo.
anunciam-se maus tempos para Sócrates, porque o que aconteceu, mais que votar em dois foliões engraçados, o que o povo fez foi protestar através do voto numa caçoneta contra a política e os políticos, como está hoje na moda dizer-sa, mostrar o seu desprezo e gozo em aviltar essa classe maldita e que perante a complacência desse mesmo povo, conduziu o país à ruína e o povo ao desemprego e à miséria.
com um pouco de marketing a nível europeu, espalhando a notícia de que a canção portuguesa ironiza os governantes, goza com os políticos em geral e pelo clima que se vê por essa europa fora, os Homens da Luta ainda se arriscam a vencer o eurofestival.

quinta-feira, 3 de março de 2011

A bola

anedota



Sobre a GORDURA
No Japão, são consumidas poucas gorduras e o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA; em compensação, na França consomem-se muitas gorduras e, ainda assim, o índice de ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;


 

Sobre o VINHO

Na Índia, bebe-se pouco vinho tinto e o índice de ataques cardíacos é

menor do que na Inglaterra e nos EUA;

Em compensação, na Espanha bebe-se muito vinho tinto e o índice de

ataques cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;


 

Sobre o SEXO

Na Argélia, transa-se muito pouco e o índice de ataques cardíacos é

menor do que na Inglaterra e nos EUA;

Em compensação, no Brasil transa-se muuuuuito e o índice de ataques

cardíacos é menor do que na Inglaterra e nos EUA;


 

CONCLUSÃO:

Beba, coma e foda sem parar, pois o que mata é falar inglês!


 

Perante esta anedota, reflitamos:

O que manda fazer José Sócrates?

Isso mesmo, manda-nos aprender a falar inglês!

Aos mais pequenos, desde o jardim-de-infância, aos graúdos através dos cursos "Novas Oportunidades"!

Afinal, o que o sacana quer é que a malta morra para não pagar reformas nem subsídios e assim baixar o défice.

Chavela Vargas - La Llorona (Video Clip)

Sócrates na Alemanha.1

Lá está! Enquanto estava na Alemanha deu-se um atentado, no aeroporto de Frankfurt, do qual resultaram duas vítimas mortais.
É o que eu digo, por onde este homem passa é a tragédia, o horror, o terror...
Enfim, foi um pouco mais suave que na Tunísia e na Líbia, mas mesmo assim, ele por aí à solta é um perigo.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Sócrates na Alemanha


Ao contrário do que se diz por cá, Sócrates e Teixeira dos Santos não foram convidados para irem a Berlim a fim de serem gentilmente recebidos por Angela Merkl.
Eles foram convocados (a Língua Portuguesa, com ou sem acordo ortográfico, é de fato traiçoeira) a prestar contas. Ou seja, em vez do beberete vão levar um valente puxão de orelhas.
A bem de Merkl, espera-se que eles não lhe levem a mesma sorte que levaram à Tunísia e ao Khadafi (já não sei como se escreve a merda do nome deste gajo, se com K ou com G).